Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

APUNHALADAS!

Minha aquática versão...

Aponte viril para estas veredas
Sentido o sentido de tuas mechas
Frescor da manhã ainda em Lua
Rasgos no cetim que trazias
Teu cheiro impregnado em minha boca
Olho teu corpo desnudo
Aprecio teu sono pleno
Como foi teu gozo último
Dos múltiplos que teve pela noite
Minha boca já está seca
Faltam teus beijos, mas ainda dormes
A água que me bate o rosto
Escorre pelo corpo suado também
Só uma ducha me alivia
Mas teso novamente a pensar
Que agora levantas a minha procura
O olhar perde o sono
Onde avanças ávidas contra minha nudez
Volúpia inata, seios rijos
Nos devoramos de paixão pelo dia
De todas as noções e posições
E contra a parede na mesma água
Te coloco por trás com certa fúria
Mordicando orelhas e pescoço
A espera de mais um grito do teu prazer.

O rijo que te apunhala mulher, de todas as sínteses, vibra com a tua tez e com teu sorriso!

Peixão89
... para esses punhais de Angela Lara, Zena Maciel e Lisieux.

Peixão
Enviado por Peixão em 29/09/2005
Código do texto: T54932
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120252 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 05:59)
Peixão