Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Carta a um amor distante

(De como se consegue enganar a saudade por mais algum tempo)

Nesta cidade tão longe
de minha terra natal
a saudade é meu tormento,
a tristeza é o meu mal.

Sinto saudades de todos,
de tudo o que me cercava,
do ar, da paisagem, do clima,
das ruas por onde andava,

do sol que brilhava sempre
no inverno ou no verão,
daquele calor ardente
das praias do meu torrão.

Sinto saudades do chão
que queimava os meus pés;
o chão que os meus pés queimava
o meu semblante marcou.

Eu tenho o semblante marcado
pela terra em que nasci,
pelo sol, pelo calor,
por todo aquele amor

que eu sinto me terem dado
as pessoas a quem amo
e que agora, tão distantes,
não escutam quando eu chamo.

Os dias aqui são frios,
as noites são tão escuras,
por aqui não passam rios
que embelezem a paisagem

que é seca, fria, inóspita,
triste e não sei que mais;
quero voltar ao Recife,
quero rever os meus pais.

Só é nisso que eu penso
quando estou só em meu quarto:
nesta cidade eu venço
e um dia daqui eu parto

de volta pra minha terra,
o torrão que nos aquece
e que a gente não esquece
nem que viva uma eternidade.

Meu amor, eu vou voltar.
Não desesperes, querida,
pois serei teu para sempre
e te darei minha vida

ou o resto de que falta
(tu bem sabes de que falo),
pois já te dei muita coisa
e nessa hora não calo

para aplacar a saudade
que sinto em meu peito arder
por viver aqui, distante
de ti, este pequeno ser

que é meu todo e que me ama
e que vive a esperar
o dia em que voltarei
(não poderás respirar!).

Meu bem, estou tão distante,
já disse e repito até,
mas quero que sintas quanto
é grande o que te darei.

O que te darei (ou já te dei)
é imenso, enorme, estupendo
(vê se consegues entender)!
É meu amor, meu amor.

São Paulo, 1971
Paulo Camelo
Enviado por Paulo Camelo em 30/09/2005
Código do texto: T55245
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Paulo Camelo - www.camelo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Paulo Camelo
Recife - Pernambuco - Brasil, 68 anos
909 textos (260267 leituras)
36 áudios (10733 audições)
6 e-livros (1686 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 04:25)
Paulo Camelo

Site do Escritor