Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A SENHA

A senha
do meu olhar
é o brilho
de um certo viver.
Venha a mim
quando quiser
e direi sim,
sem impecilhos.
Da vida
uma nova onda
tem-me seguido
e me sonda.
Minh’alma,
desguarnecida
que lhe venha
com certa calma.
Há tanta
perdida energia,
em chão
de enterrada alegria.
Que venha
com algum tato
em frações
de intensidade.
Contactos
com poucos senões
em linha de contiguidade.
Que me informe
do arrepio
e em volúpia
não transforme,
meu estar de quietude
tal rompimento de açude.
Do olhar
tirei a venda
resta
desatar o gesto
ao qual
uma intenção empresto,
repleta
de cor e feitio
para
que as mãos eu estude
procurando
no mapa a palma
sem
resvalar por desvios,
para
que eu ache minha’alma.





Elane Tomich
Enviado por Elane Tomich em 03/10/2005
Reeditado em 16/11/2005
Código do texto: T56177
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Elane Tomich
Teófilo Otoni - Minas Gerais - Brasil
319 textos (11442 leituras)
1 e-livros (126 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 02:27)
Elane Tomich

Site do Escritor