Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Minhas poesias no Cd OISE(Anomelivros Editora)



 

(I) ARREPENDIMENTO

 

Mais que amei, amei errado

ou amei sem saber de limites

e de impossibilidades...

Amei com a fúria dos ventos

e a ternura das brisas

nos rostos das flores:

esta, insuficiente  para a sanha dos desejos,

aquela rasgou pétalas e sépalas

e abriu cálices...

Queria ter amado menos que o demais

E muito mais que o possibilitado...

Queria que os excessos de busca,

Perfumassem, de repente,

Todos os ares da angústia incandescente...

Nas grutas do desconhecido,

As estalagmites ,

Tão fantásticas ao primeiro olhar,

São de tal forma frágeis

Que se tornam poeira e barro

Para não mais voltar...
(Clevane)

 

 

(|II)Das Diferenças

 

Intangíveis são os fechados

Que não abrem as janelas da alma,

Portas no coração, portões de jardins,

Nem Têm sorrisos no rosto

Nem estendem as mãos

 

E nos olham com olhares desconfiados

Sem querer saber quem somos

Ou poderemos ser...

 

Tangíveis são os que sentam no colo

Expandem a aura,nem de si mesmos

Mas não dos outros,mas com todos...

Oferecem a pele,presente maior,

O cheiro,os humores,até as dores...

 

Uns não querem contaminar-se

Com a previsível e necessária mistura

De corpos e suores e sedes e fomes...

Mantém a distância desnecessária;

Sentam-se em tronos de veludo,

Voam acima dos demais...

Outros anseiam por beber

No mesmo copo,ávidos pelas trocas,

Comer no mesmo prato

E partilhar a vida,o filho,

O sonho,carne a carne,

Gosto a gosto

E só o que pleiteiam

É voar lado a lado

A mesma viagem...

 

Uns se separam

Em desencontro pleno.

Outros se unem no encontro absoluto...

 

Uns se separam

Em desencontro pleno.

Outros se unem no encontro absoluto...

 

 

Há quem seja espinho

E separe e fira e cause gangrna.

Há quem seja rosa

E perfume e embeleze e apazigúe...

 

Luto na vida

E festival perene...

 

Um e outro...
(Clevane)

 

(III)Pequeno Poema do Grande Encontro

 

 

Deixe-se

               fluir

                         para as searas

                                               do amor.

 

Confluir,refluir:doe e receba,

  energize-se na luz do outro

      e doure-o com o ouro

         da sua própria luz.

 

                   Saiba

que você tem um manancial

               de pérolas

naturais ou cultivadas

que devem ser ofertadas.

Não tema perdê-las:

voltarão ao seu self

mais lindas e multiplicadas

(uma troca intensa

e sem interrupção,

que vai da alma ao corpo,

do espírito ao coração,

abre as comportas da mente

na magia eterna  em doação)...

Seu potencial

é maior

do que você pensa:

você pode mel e sal

água e terra,

sombra e luz,

vento e aroma, alimento.

Não fuja,pois, à destinação

maior do ser humano...
(Clevane)

Foi emocionante gravar esses versos,em estúdio.O organizador foi o ator e poeta Wilmar Silva.A coletânea é bem eclética.
A trilha sonora foi feita individualmente por Arnaldo Vale.
O nome é uma homenagem a Rimbaud.


 

 

 

 

 

 

 

 

clevane pessoa de araújo lopes
Enviado por clevane pessoa de araújo lopes em 12/10/2005
Código do texto: T59203

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autor e o link para o site "www.sitedoautor.net(Clevane pessoa de araújo lopes;(www.clevanepessoa.net/blog.php)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
clevane pessoa de araújo lopes
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 69 anos
555 textos (176705 leituras)
21 e-livros (13423 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 14:40)
clevane pessoa de araújo lopes