Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Solidão

Queria poder botar em versos o que sinto agora.

Mais foi-se o raciocínio, ficou o tão falado silêncio da
alma.

Não consigo chorar. Só me vem esse nó na garganta, fazendo
 
meu peito arder tanto, que quase sufoco. Sei que as vezes é
 
melhor chorar, mais não posso sucumbir ao choro, vai chamar

a atenção na rua, e a última coisa que eu quero é ter

alguém me olhando, eu não suportaria.No momento tudo que eu

queria era colo, de preferência bem macio!

Resta a escrita graças a Deus. A sensação é de limpeza,

expulsão do medo da solidão. Olha consegui até uma rima!

Fica agora esse vazio com cara de casa desocupada, um eco

gigante me zoando por dentro, você está
 
sozinha...sozinha...sozinha.

Socorro, preferia a surdez, a ter que escutar esse eco
maldito.

Não entendo porque não aprendo a ser só. As pessoas gostam

da minha companhia porque eu não? Vou ter que descobrir isso

SOZINHA, pois hoje meu namorado tem o dia livre para sair

com os amigos e depois de 8 anos, me vejo longe de meus

amigos, aliáis, parece que não tenho uma vida só minha.

Bom pelos menos, agora tenho o recanto, eu sei que posso

escrever e segunda quando abrir meu computador, sei que

terei uma mensagem de carinho, vale a pena estar aqui isso no momento é o que importa.





Observadora
Enviado por Observadora em 15/10/2005
Código do texto: T59825
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Observadora
Salvador - Bahia - Brasil, 50 anos
487 textos (27392 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:47)
Observadora