Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POEMA INDIGNADO

POEMA INDIGNADO
Não me confies o papel ridículo de bobo da corte,
me falta graça, talento para bajulação,
digo e repito: cansei de exercer o papel da servidão voluntária,
quero mais é escrever os meus versos coloquiais,
sem rimas, versos livres e sem a pretensão de celebridade,
quero gritar ao mundo, e mandar todos para os quintos dos infernos,
e depois mandar beijos ardentes, abraços fraternos,
pedindo desculpas, amo todos vocês,
com recomendações para se agasalharem bem no frio.
Geovane Morais
Enviado por Geovane Morais em 19/05/2017
Código do texto: T6003434
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Geovane Morais
Açucena - Minas Gerais - Brasil, 52 anos
171 textos (1785 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 22:35)
Geovane Morais