Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poemas do amor que dispensei


Os poemas do amor que dispensei
os fiz assim, calados, pois fizesse
um verso apaixonado,
não os dispensaria...
Não por ora...

Guardaria o amor, por mais um dia.
Do verso... – deste sim, mas não agora;
as palavras de adeus eu não diria
e não diria mais, pra que o silêncio
guardasse algo do amor que dispensasse...

Ah, o amor! – esse ficava
como um verso guardado na gaveta
do impublicável “eu” que se retrata
no adeus ao verso,
no adeus ao sonho,
no adeus, intransitivo como um verbo,
e que dispensa outros comentários;
que só diz: adeus!
Poeteiro
Enviado por Poeteiro em 16/10/2005
Código do texto: T60232
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Poeteiro
Santos Dumont - Minas Gerais - Brasil
440 textos (10789 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 06:40)
Poeteiro