Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0150 - Desnudo-me



Já sem vestes, sem caminho...
me desnudo,
de um coração que já não é meu,
dos sonhos que jamais sonhei,
das rezas que aprendi um dia,
da solidão que me deixastes,
das heranças de fome que passei,
sim, fomes,
de paixão,
de beijos,
de amor,
fome de vida,
da minha vida que foi contigo.

Desnudo-me da alma,
aquela que tinha no peito,
dos sorrisos que dela vinham até à boca,
desnudo de mais, muito mais,
das madrugadas que corri pra tua cama,
das estrelas que te dei,
das luas,
de minguante a nova,
tudo era teu, até eu.

Desnudo-me da vida,
rasguei todos os rascunhos,
as fotos,
fechei as janelas d'alma,
os olhos secaram quando tu fostes,
não tu, teu corpo,
quando deixastes o amor acabar,
não te quero palavras,
te quero carne,
espírito e alma,
só assim talvez volte pra mim,
pra dentro do meu peito desnudo de paixão...
se um dia voltares,
que sejas amor,
que sejas minha,
igual sou eu, todo amor teu.

27/01/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 08/03/2005
Código do texto: T6115
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116244 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 06:53)
Caio Lucas