Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Diante de ti!




Hoje diante de ti, me vi
Oh! Meu algoz querido,
Em tuas mãos rijas,
de frio e de cólera,
a vontade de ter meu coração palpitante!
A vontade de tê-lo entre seus dez dedos ansiosos,
E num profundo silencio,
entre soluços esparsos,
Pingos cronometrados,
da seiva da carne minha,
A mesma seiva da tua carne,
Mesmo sangue de teu sangue!
Ah! Meu algoz querido!
Em tua face gélida,
entre seus olhares vidrados,
Vi teus desejos escancarados,
em uma única palavra...
A vida minha meu algoz querido, fadada,
Ter como casa a campa, e por companhia, ossadas...
E por fim para as futuras horas,
por fim ser pó, e mais nada,
Por fim ser uma mancha em tuas mãos ávidas...
Que tu, em um único gesto, me transforma em nada,
Por que me matas, aos poucos me matas,
de amar-te...de querer-te, e nada?


16/10/79
Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 22/10/2005
Código do texto: T62187
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edvaldo Rosa www.sacpaixao.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Edvaldo Rosa
São Paulo - São Paulo - Brasil, 55 anos
1727 textos (173762 leituras)
23 áudios (10650 audições)
35 e-livros (8978 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 12:46)
Edvaldo Rosa

Site do Escritor