Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Raízes


Como demoraste flor para morrer
Pisei tuas pétalas, esmaguei
Com que prazer me deleitei sabendo-te caída
Benditos vulcões
Jorravam pelo teu caminho
Queimada
Encontro-te quase morta de frio
E passei agasalhado ao teu lado
Joguei teus pedaços no rio quando o barco estava ancorado
Colaste e nadaste
Desvairada e tonta
Prosseguia sobrevivendo – ao relento, às guerras
Ao peso do meu desdém flor-imperfeita
Ah, tuas raízes fincaram no chão
Sobrevivendo com  minhas pisadas
Agora tenho que aprender a voar
Não te dar tanto carinho
Pisar em ti e ouvir teu soluço
Baixinho, baixinho.










Verônica Aroucha
Enviado por Verônica Aroucha em 23/10/2005
Código do texto: T62500

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Verônica Aroucha
Recife - Pernambuco - Brasil
122 textos (7752 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 21:23)
Verônica Aroucha