Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Programação


Estranha esta intimidade que se cria diante da TV...
As pessoas se sentam lado a lado
e a cada dia mais se afastam
e tornam-se mais estranhos – um ao outro...
Nem bom dia se diz...
E se faz infeliz...

Mas diante da TV sonham – isso é sonho?
Ou é somente um torpor?
Não se vive mais a vida
e só na TV existe amor...
E a personagem ganha vida
e a vida dos atores é que importa...

São belos! São felizes!
São as nossas matrizes
e não passamos de cópias desbotadas
que a um clique somos trocados de canal
porque isso é normal na vida...
A TV completa nossas ausências...
Nos oculta as carências
e achamos normal não sentir nada
que não faça parte da programação...
É somente uma TV ligada
e nossa vida desligada da razão...

Mas que graça tem a vida?
A vida real não tem tanta emoção...
Que graça tem? Não é tão bela...
É bem melhor a vida da televisão...
“— Silêncio, meu bem! Vai começar a novela!”.
Poeteiro
Enviado por Poeteiro em 23/10/2005
Código do texto: T62664
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Poeteiro
Santos Dumont - Minas Gerais - Brasil
440 textos (10789 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:54)
Poeteiro