Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POETAR É VIAJAR NO INFINDÁVEL!


Ao escrevermos viajamos no horizonte incomensurável e cooptamos as estrelas que nos orientam sobre a sua infindável permanência solitária e conseguem atrair, eternamente, olhares sequiosos que buscam o seu encantar-se ...

Lançamo-nos ao encontro do belo e, às vezes, de encontro com este belo desejado, lapidamos os viajores incansáveis – portal da alma: olhos –, para não rumarmos noutros buracos negros das visões utópicas... mas eles, pertinazes, insistem na busca e nos remetem à conclusão: é preferível o encontro do que julgamos desencontro e desencanto ao desencontro de nada ter buscado e, conseqüentemente, sem o encanto das descobertas.

Olhos sábios que não se cansam no idílio da busca e, no resultado dos encontros e desencontros, abrem o peito para deixar o coração respirar cândidos versos da alma.

©Balsa Melo
11.08.04
Brasília - DF
 
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Enviado por BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO) em 28/08/2007
Código do texto: T627641
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Uberaba - Minas Gerais - Brasil
3010 textos (87721 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 06:06)
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)