Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POETA FINGIDOR - ENDEREÇO CERTO PARA A DOR!


Sou um observador incansável e
espio tanto que as vezes me acho e
me perco.

Acho-me entre tantos entretantos
de vida que passa sem pressa a
cravar avisos no rosto e
perco-me no menor gesto que percebo
não corresponder à dedicação do carinho...

Falível e humano,
não compreendi,
ainda,
a forma dos outros querer e
amar sempre a impor regras e
condutas para a alegria...

Na minha singela ignorância,
talvez,
eu aprenda a ser feliz mesmo
a falar da outra face,
a narrar sobre a solidão que
o céu omite repleto de estrelas e
que o sol revela na imensidão da luz.

Observo e sinto a dor...

por tantos e
de tantos que sequer imaginam
que perecem por ela
e dentro dela...
daí ser,
também,
um fingidor com um endereço
certo para a dor.

©Balsa Melo
16.08.04
Brasília - DF


 
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Enviado por BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO) em 28/08/2007
Código do texto: T627649
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Uberaba - Minas Gerais - Brasil
3010 textos (87159 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 23:25)
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)