Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

OMISSÃO

OMISSÃO

A humanidade e seus defeitos...
Nem todos estão satisfeitos
com as trilhas que marcaram,
com as janelas que fecharam...
Entre o “não sei” e o “sei-não”,
reina o maior de todos os pecados: a omissão,
a falsa paz que acalma  a consciência,
que não  quer saber da culpa, nem da inocência.
Vez por outra, afloram algumas intenções,
aquelas, que enchem as valas, e cerram os portões
com grades de egoísmo,
escalada à beira do abismo,
 limite entre o que morre e o que medra.
Não jogarei a primeira pedra,
nem a segunda,
sou ainda um andarilho corcunda
a procura da essência.
Várias pedras já escalei, nesta existência,
buscando ouvir o toque do sino em harmonia
com as demais sutilezas da poesia,
Sei que ainda é pouco, falta muito,
luto até contra o meu próprio intuito,
mas  é tão íngrime o som da festa
que não vejo espaço na grande orquestra.
Quero apenas achar meu lugar no mundo
porque do poço eu já conheço o fundo.
Basilina Pereira
Basilina Divina Pereira
Enviado por Basilina Divina Pereira em 30/08/2007
Código do texto: T631555
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Basilina Divina Pereira
Brasília - Distrito Federal - Brasil
131 textos (2246 leituras)
2 e-livros (147 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 20:51)
Basilina Divina Pereira