Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pacificada

Pacificada

Esse vento que agita meus moinhos
Que vem repentino,ar sem direção
E gentilmente derruba meus castelos
Que de areia, medo e pedra até então
Resguardaram meus segredos mais belos

Trazendo um mar espumante de segredos
Que invade mansamente meus desertos
E cobre de beijos meus olhos abertos
Interrompe meu sono, acorda meus desejos

Que ilumina minhas noites
E liberta as minhas mãos
Que me faz tocar os céus
Me faz perder o chão
Que manso despe meus véus
E me envolve com carícias
Que inunda minha boca
Com sabores e delícias

E minha pele exala bálsamos e flores
E meu corpo se esvai em vapores
Em líquidos , perfumes, tremores

E meus sentidos se alegram
Entre penumbras e risos
E em vertigem se entregam
Aos sussurros e delírios

O tempo para e admira atento
Meu renascer, esse momento
E me faz de alegria
De música, poesia
Cor e sentimento

Sinto-me agora intensa
Leve, acalentada
E na sua presença
Meu coração se aquieta
E minha alma fica assim,
Pacificada...

E meus olhos se estreitam
E se fecham com emoção
Para ver a luz tão densa
Clara, límpida e imensa
De teu olhar na escuridão

Claudia Gadini
22.08.99
Claudia Gadini
Enviado por Claudia Gadini em 25/10/2005
Reeditado em 06/11/2005
Código do texto: T63356

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Claudias Gadini). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Claudia Gadini
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
318 textos (54196 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 17:54)
Claudia Gadini