Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

RATO de ESGOTO

(a mim mesmo)


Deixo a você como herança
o meu sangue no pano de prato
gravado a depressão e navalha

a vida é um lenço esfarrapado
coberto de estrelas e catarro
enfiado no bolso do mendigo

o meu amor é pobre e imundo
como um rato de esgoto
o meu sexo é caco de vidro

no meu ombro o hino da idiotice
que me faz ridículo como aberração
no circo é cantado às gargalhadas
pelo urubu

porque a minha fortuna
é medida pelas veias abertas

as minhas vitórias
pelas falhas do goleiro
e pelo juiz ladrão

e se insisto seguir adiante
é porque os sapatos furados
refrescam os meus pés
pisando na poça d’água
Eriko y Alvym
Enviado por Eriko y Alvym em 06/09/2007
Código do texto: T641157

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (ERIKO ALVYM e www.erikoalvym.zip.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Eriko y Alvym
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1309 textos (32776 leituras)
8 áudios (1075 audições)
2 e-livros (177 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 08:07)
Eriko y Alvym