Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Vale Dos Esquecidos

Geme o rio que molha
o corpo inerte qual chuva
de relâmpagos a cruzar
o céu da noite escura e sombria.

Uma leve bruma cobre o vale
e no céu, nem uma estrela
arrisca as luzes à vagar.

Exilada no palácio de lágrimas
a avezinha goteja suas ladainhas
em linhas tortas e embriagadas de dor.

- Por que sofre ave alada?
Onde deixaste teu riso, tua felicidade?

- Choro a ausência e a indiferença
do ser amado diante do sofrimento
que me foi imposto por crueldade,
pelo próprio que diz amar.
Destilo minha dor nas lágrimas
que cortam minha vida
e penso no sentido
de ainda existir
para este amor
que só traz
sofrimento e dor.

E neste naufragar profundo
para a reflexão, a ave
queda-se extenuada
e à beira de sua falência...

Nada mais pelo que lutar,
só morrer no vale dos esquecidos...
Maria
Enviado por Maria em 06/09/2007
Código do texto: T641251
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria
Blumenau - Santa Catarina - Brasil
4776 textos (193294 leituras)
1 e-livros (117 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 06:29)
Maria

Site do Escritor