Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto da ALMA DO POETA


Soneto da ALMA DO POETA



Que dor fatal, traz a emoção secreta,
parece até a pungência de uma espada,
tornando a dor sempre desconsolada,
com a mesma dolência de um asceta.


Quando andas por aqui tão indecisa,
sinto que tormento cruel se nirvaniza.
E que agonias titânicas são essas?
Por que não vem, alma imprevista?


Venha cumprir as suas promessas,
venha mostrar sua augusta conquista.
Oh ! alma ansiosa, trêmula, inquieta,


Venha comigo bem suave e delicada,
para sorver devagar a luz da alvorada,
Oh! alma tristonha de um poeta.
tancredo
Enviado por tancredo em 27/10/2005
Código do texto: T64136
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
tancredo
Valença - Rio de Janeiro - Brasil, 76 anos
118 textos (65161 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 12:03)
tancredo