Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poeta que me pariu!

                             

                             Acordado na madrugada...
                               essa é a minha rotina.
                             As palavras não dormem;
                             dorme só, minha menina.
                                  Ao levantar-me...
                            no escuro, uma quina...iiii!
                              (poeta que me pariu!)
                                 Já é a primeira dor
                             que chega e me domina.
                            Depois vêm outras dores...
                           já é bem tarde, sol em cima.
                            Voltar à cama não dá mais
                                e nem mais me quer,
                                 minha linda Cristina.
                          Aí meu corpo reclama e ensina
                             que a função de escrever
                             é igual a distância que há
                               entre a dor e a aspirina.
Zé Urbano
Enviado por Zé Urbano em 09/09/2007
Código do texto: T644867

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Zé Urbano
Rio Grande - Rio Grande do Sul - Brasil, 49 anos
105 textos (3256 leituras)
17 áudios (4405 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 09:57)
Zé Urbano