Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

( Des ) Construir

Todo saber fazê-lo delírios e sonhos
décima nona expressão afrodisíaca
no verso o espaço muralhas faróis
desejânsia ruptural recolho os pedaços
no calabouço das ilusões

Ultra-romantismo transcendente
alegoria dos amantes idealizados
semelhantes às lágrimas
das imortais sensações do medo

Alaúde distante feroz melodia
choro teus dedos dilacerados
e o canto subterrâneo que na infância
a boca sangrava um silêncio amordaçado

N'amanhecer das horas intermitentes
translúcido olhar que ilumina múltiplas transgressões
" viver não é preciso, morrer é preciso "

Nas mãos se dirá um dia como as primaveras da lua
tristes descendentes das canções
mortas e decepadas de reflexões
desconstruídas de amar

Yin-yang contínua equação das coisas finitas
tuas forças de equilíbrio greco-latina-paixão
dionisíaca que se completam e abrangem
todos os fenômenos e aspectos da vida latente





Poelton
Enviado por Poelton em 10/09/2007
Reeditado em 13/09/2007
Código do texto: T646613

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Poelton
São Paulo - São Paulo - Brasil
20 textos (194 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 11:34)
Poelton