Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pudera


Pudera simular a flor
Composta de pura letra e palavra
Impregnada da cor e do cheiro
E do sentimento e da dor
De quem a empunha

Pudera conter a matéria
Na pura essência do signo
Revelada luz aos olhos de quem lê
Consubstanciada aos sentidos

Pudera liberar o tesão e o sorriso
Curar a dor, parar o tempo e o medo
E instigar a alma e a nobreza
Que contém o âmago de todo homem

Pudera eu, pudera a poesia
E o néctar que dela se destila
Estalar na boca e melar nos dedos
Sem quimeras, ou segredos

Pudera eu fazê-lo, pudera eu fingi-lo
Pudera fingir a dor que me causa
O privar-me do prazer extremo!
Inimigo atroz que infantilmente temo

Pudera me fingir capaz desta alquimia
E lograr, assim, dela abster-me
Pudera eu fingi-lo, pudera eu fazê-lo
Pudera eu... sequer um dia.

D.S.




Djalma Silveira
Enviado por Djalma Silveira em 12/09/2007
Código do texto: T649325

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Silveira
São Paulo - São Paulo - Brasil, 49 anos
267 textos (10551 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/17 06:04)