Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEU POEMA:


Meu poema



Peço-lhe perdão, se meus versos, lhe confundem.
Eu não escrevo, com o meu pensamento em você.
Apenas escrevo, frases que fluem de minha alma.
Se meus poemas a magoam, deve ter, um porque.

Se me pedes, para parar, suas razões deves ter.
Mas se eu parar, estarei frustrando minha vida.
Talvez no futuro, você, sem ter o que pedes hoje.
Sentirás-te frustrada, sem meus versos para ler.

Quando voltares de alguma festa, na madrugada.
Talvez, irás procurar, em tua cabeceira, um livro.
Uma pagina solta ali guardada, pegarás para ler.

Será esta poesia, que hoje, eu escrevo para você.
Não te sentirás magoada, frustrações, tu não terás.
Em suas preces, pedirá, que eu continue a escrever.


Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 29/10/2005
Código do texto: T65148
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147484 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 22:41)
Volnei Rijo Braga