Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


JULHO, 19

Era inverno escuro e frio...
Fora o vento assoviava
derrapando nos telhados,
enquanto, no quarto, gemidos
abafavam o som dos pingos
que batiam na calçada.
..............................
Dia claro, sol a pino!
Apenas a mão do destino
conduzia os movimentos
onde, alegre, o tom de um choro
dava o toque harmonioso
à singelez do momento.
...............................
Como foi meu nascimento?
Eu não sei, não perguntei.
Mas bastou-me abrir os olhos
pra perceber num instante,
que este caminheiro errante
(produto oriundo do sexo)
era só um viajante
que embarcou na nave errada,
naufragou, perdeu o rumo,
e vive, assim, pelo mundo
vagabundo insatisfeito
buscando ocultar no seu peito
a dor,
num lamento contido
que explode, inconsumido,
traduzido nos seus versos.
HLuna
Enviado por HLuna em 15/09/2007
Reeditado em 15/09/2007
Código do texto: T653400
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (http://recantodasletras.uol.com.br/autores/helenaluna). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
HLuna
Fortaleza - Ceará - Brasil
9423 textos (230348 leituras)
15 e-livros (925 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 05:01)
HLuna