Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Batuque de Galope

Ouvi vindo da rua quando estava acordando
O som de uma matraca qual cavalo galopando
E tive um surto louco qual me ocorre vez em quando
De traduzir em versos o que estava escutando

Me levantei
Fui estudar
Buscando uma maneira de meu verso galopar

Então pensei
Pra que chorar
Buscando um verso triste, se eu quero me alegrar?!

No escuro do meu quarto galopando no meu verso
Perdi-me na batida do meu peito a palpitar
Iluminei meu quarto dando um soco na janela
E, pulando na rua, ensaiei sapatear

Olhei pra cá
Olhei pra lá
Não vi ninguém por perto, então resolvi parar

Eu vi, então,
Quando uma velha
Pulando da janela, espatifou-se pelo chão

Então saí correndo, louco, dando cambalhota
Mirando surpreendido no decote da velhota
A velha deu um pulo e agarrada no meu braço
Pôs-se a se arrastar já esquecida do cansaço

Pensei então
Que bom pra mim
Dançando pela rua c’uma velha meiga assim!

Pensei então
Que bom pra mim
Dançando pela rua c’uma velha meiga assim!

E a batida da matraca já estava fenecendo
Cedendo tempo ao sol que já estava amanhecendo
E eu, de braço dado com a velha, na calçada
Sorvendo o gargalhar da nova amiga desdentada

D.S.

Djalma Silveira
Enviado por Djalma Silveira em 19/09/2007
Código do texto: T659240

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Silveira
São Paulo - São Paulo - Brasil, 49 anos
267 textos (10562 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 03:46)