Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Branco

E a fada branca adentra o seu salão marmóreo. Arrastando seus cabelos longos a exalar perfumes. Dos vitrais transparentes, reflete-se o lume matinal que revela as hídricas gotículas que restam da neblina. E cristais se criam dessa luz tilintando sobre as pedras calcárias, que se refrescam sob uma fina camada de orvalho. Os diamantes, que demarcam os caminhos, e que ora brincam durante o parto de uma radiante aurora, explodem irradiando um brilho de estelas, e se lançam no espaço prata, como cometas diurnos. No jardim, uma imensidão de flores brancas se estende sobre o vale em busca das dunas distantes e as pétalas brancas - o único e indispensável pão - nos servem de alimento, juntamente com o leite que emana do seu caule. Enquanto isso, as borboletas brancas, em piruetas ligeiras, sobrevoam uma réstia de névoa que vasa por entre os galhos que fragorosamente vibram no vapor da brisa.
Toda essa festa é para ela, a Rainha da Manhã, que desfila sobre as lápides sem flores, de onde renasce o tempo no calor de um novo dia. E os sorrisos se desprendem dos dentes que se mostram, nos olhos que se abrem, e nas faces que se esticam refletindo o ofuscante sol. As horas quase param, os relógios quase vibram, e o sempre se apresenta numa cascata que reluz essa expansão de brilhos, para eclodir finalmente no patamar deste momento.
No lírio deste novo dia, que desabrocha em resplandecente renascer, irradiamos a esperança das crianças que se riam inocentes, o cantar dos pássaros que nos convidam a seu sarau, o calor do Sol cuja vibração anima a matéria, e o resplendor da vida que nos revela, enfim, a sua face eterna!

D.S


Djalma Silveira
Enviado por Djalma Silveira em 19/09/2007
Código do texto: T659241

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Silveira
São Paulo - São Paulo - Brasil, 49 anos
267 textos (10546 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/17 23:22)