Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Nos sobram espinhos!

Algum ditado para dizer tudo, sem entremeios,
Meios para nada dizer, porque nós falamos demais,
Toda forma racional & brutalizada, incipiente,
Tomando emprestado boa parte da estética, sem luz,
Panos no chão, varais vazios, bronze, micro-ondas,
Ficar ou não, mas para falarem sempre, caos,
Fuga de neurônios, nevralgia, gás & coqueluche,
Biologia que propaga & reforça uma certa cultura,
Achamentos, dubiedades, variações, ares niilistas,
Olhar mnemônico para vestígios & vestimentas,
Tons pastéis ou preto básico, enrosca sapatos,
Pêlos espalhados no lavatório fora de ordem,
Tucano, papagaio, arara, periquito, outros bicos,
Sentou a bicuda na porta, quebrou a unha,
Revista feminina contra artigos de pesca, pisca,
Pneumáticos sobrando por toda a cintura,
Quem te viu, nem lembra o vira tripa que era,
Problema de espelhos, o meu & o seu também,
Ora cara, ora coroa, ambos parelhos & refratários,
Alho & azeite contra sua solução de apenas frutas,
Quando pararem de pensar, vão olhar a rua vazia!

Peixão89
Peixão
Enviado por Peixão em 20/09/2007
Código do texto: T660231
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120467 leituras)
1 e-livros (243 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 03:01)
Peixão