Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto XI

Maldita, Sanguinária e Macabra
És minh'alma satânica por demais
Onde existe mil personalidades desiguais
Em que uma n'outra se acaba.

Há quem duvide de minha lucidez
Os que me acusam de ser louco
Mas se paras e pensa um pouco
Vê que louco são vocês.

Vocês que têm medo da maldição
Vocês que de louco me chamam
Parece não sentir o próprio coração.

Que a vós proclamam
E vocês podem pensar que não, mas
Malditos e loucos também amam.
Júnior Leal
Enviado por Júnior Leal em 14/03/2005
Código do texto: T6609

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Júnior Leal
Lagoa Santa - Minas Gerais - Brasil, 31 anos
958 textos (30748 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/09/16 04:02)
Júnior Leal