Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POETA EDSON GONÇALVES FERREIRA

APRESENTAÇÃO DO

POETA E PROFESSOR E JORNALISTA EDSON GONÇALVES FERREIRA

     

· Mestre em Artes e Educação pela AWU/USA, Pós-graduado em Língua Portuguesa pela PUC/MG, graduado em Letras pela FUNEDI/UEMG, é membro  da Academia Divinopolitana de Letras e da Academia Municipalista de Letras de Minas Gerais. Como poeta já publicou os seguintes livros: Como poeta/escritor/teatrólogo, já lançou os seguintes livros: Poedsana, O cavalo de couro e pau, Múltiplos Poéticos e Plásticos, Um gosto da vida, Batido de sol, Apenas por amor (Prêmio Nacional pela Academia de Letras de Brasília como melhor obra lírica em 1985), Pé-de-moleque, O menino do Zé, Rasgando os Véus, Beija-me em paz, Uma ponte para o amor, Poema Nordestino, Poema Mineiro, Um dia na vida do povo, Dois dedos de prosa nas entrelinhas dos versos,  Chupando caquis, livro esse  editado pela Editora Mazza, de Belo Horizonte e, depois lançado em Divinópolis, São Paulo, Brasília e, também, nos Estados Unidos (New York), bem como Cuba (Havana, no Congresso Internacional de Pedagogia).  No momento, ele se prepara para lançar suas duas últimas produções: Retratos em pérola (previsto para segundo semestre de 2007) e, depois, para publicar Palabras de mi corazón -- em espanhol. Esse livro deve ser editado no exterior.






Independente


Edson Gonçalves Ferreira

I
Sou eu o poeta das grécias de Minas Gerais
Onde a poesia agarrada de puro lirismo
Como flor brota das montanhas
Na boca de homens comuns como eu.

II
Sou eu o grego da poesia deste século
Marcado pela insensatez eletrônica
Mas que me comove pela humanidade judiada
Entre teclas e moedas de ouro.

III
Sou eu o que não tem vergonha de ser
O que não esconde as suas fraquezas
Mas faz delas seu cajado mais forte
Para saudar Aquele que é mais puro que eu
E me faz senhor das palavras e do mundo.






São Paulo, 07.09.07

Definição de amor


Edson Gonçalves Ferreira


Amor tem que ser assim
Macio e confortável como sapato velho

Amor tem que ser assim
Belo como uma inesquecível alvorada

Amor tem que ser assim
Doce como manga amarela ainda no pé

Amor tem que ser assim
Musical como o ronrom de gatos

Amor tem que ser assim
Cheiroso como um pão matinal

Amor assim é bom assim, amor!




Do livro “Cantiga para Anita”  no prelo.




Div. Agosto/07




Inicial


Edson Gonçalves Ferreira


Quando estive no mosteiro,
E, ainda, carregava o lírio no corpo e na alma,  eu não sabia
A santidade não reside no físico
Transcende mais, muito mais
Hoje, com meus pés atolados na terra
E o corpo suado de outro corpo, sei
Humanidade pura também santifica
Afinal, foi Deus quem nos criou
E como Ele soprou o barro
Sopro com minha poesia todo mundo
E arrebato todos para a Luz.




São Paulo, 08.09.07















Atravessado

Edson Gonçalves Ferreira


Minha alegria é igual
Minha tristeza é igual
Minha fala é diferente
E minha sensibilidade muito maior
Tudo o que os outros não sentem, eu sinto
Acho que Deus me deu duas costelas a mais
Com a masculina, escrevo e falo duro e direto
Com a feminina, sou como as mulheres
Me descabelo todo, falo pelos cotovelos, sou pura emoção
E, depois, como homem, me culpo demais
Vivendo, assim, atravessado, meu Deus,
Eu já ganhei os céus, não?



















Multiplicação


Edson Gonçalves Ferreira


Minha mãe tinha uma língua apocalíptica
Mãos boas pra cozinhar, lavar, plantar flores, semear amores
Olhar franco e santo como o de Maria
Talvez, por isso, assim como Jesus e os peixes
Eu aprendi a fazer milagres
Só que faço com palavras, tornando-as manjar
Saborosas para matar a fome
A fome de amar da humanidade.
 


Div. Setembro/09


























Poema primaveril


Edson Gonçalves Ferreira

             
Quando a Primavera chega...
Também floresço e
Sou como ipê  roxo de paixão
Deslumbrando todos para a canção da vida
Que dói quanto mais se goza, quanto mais se inventa.

Quando a primavera chega...
Também me arrebento em flor e
Sou como meu jovem amor
Brincando, à beira de um riacho,
Com aquele sorriso tão doce que faz doer meu coração.

Quando a primavera chega...
Também me extasio
E relembro que minha alma será
Jardim encantado e musical para, sempre, encantar
A existência de todos com as flores da humanidade.
 


Divinópolis, 18.09.07

Poema de aniversário


Edson Gonçalves Ferreira





Minha mãe achava aniversário a festa mais deslumbrante
Não se importava se a mesa era simples
O importante era o luxo do sorriso nas bocas alegres
Até hoje, lembro-me da alvorada do sorriso dela
Cantando o “Parabéns para você”.













edson gonçalves ferreira
Enviado por edson gonçalves ferreira em 20/09/2007
Código do texto: T660921
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
edson gonçalves ferreira
Divinópolis - Minas Gerais - Brasil
1160 textos (134968 leituras)
141 áudios (48574 audições)
5 e-livros (699 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 01:03)
edson gonçalves ferreira