Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto XV

No cálice que dizem ser sagrado
Do vinho tinto dos domingos
Em meio a choramingos
Bebo o sangue que dizem ser macabro.

Toda a benevolência do cálice teu
Foi amaldiçoada vós, que se diz santo
E agora, o Nazareno, aos prantos
Vê que o certo, o homem converteu.

És a maldição construída por cimento
Onde se comete o maior dos pecados
De dizer-te a casa do Nazareno.

Um lugar onde se reúne os fracassados
Que necessitam da inverdade, e sem consentimento
Mal sabem que são os próprios amaldiçoados.
Júnior Leal
Enviado por Júnior Leal em 14/03/2005
Reeditado em 30/03/2005
Código do texto: T6613

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Júnior Leal
Lagoa Santa - Minas Gerais - Brasil, 31 anos
958 textos (30829 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 21:00)
Júnior Leal