Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Infância



Vejo os meninos brincando suados embaixo do sol escaldante
Sentindo o louco desejo de estar lá com eles de volta à infância
Suando, sorrindo, gritando, correndo, xingando, chutando uma bola
Jogado nos braços da vida e vivendo hoje em dia os tempos de outrora

Olhando a menina morena tão linda sentada no banco da praça
E vê-la sorrindo, mostrando às amigas que lindo o gol que eu fiz
Os olhos cruzando no espaço num riso que sai, assim, meio sem graça
Sorvendo a água tão limpa e gelada da fonte da praça matriz

Jogando a água pro alto e vê-la caindo em gotas brilhantes
Os dentes mais brancos que as nuvens gigantes que, lentas, enfeitam o céu
As nuvens, qual barcos a vela, que pairam tão calmas em meio ao azul
Olhando os humanos qual fossem formigas perdidas na sua Babel

Sentindo o sangue na pele trigueira salgada sem medo de odores
E o sopro do vento gostoso que chega com cheiro de folhas e flores
As folhas faceiras se agitam e dançam com bulha nos galhos revoltos
Bailando no espaço, na valsa do vento, que as leva em seus braços afoitos

Me lembro da terra girando embaixo de mim sem que eu a notasse
Da pura energia que, então, nos erguia a portar-nos com tal elegância
Da noite tão calma e fria que me induzia a que nela sonhasse
Daquela magia que então existia e se foi ao fugir-me a infância

D.S.

Djalma Silveira
Enviado por Djalma Silveira em 21/09/2007
Código do texto: T662226

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Silveira
São Paulo - São Paulo - Brasil, 49 anos
267 textos (10546 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 06:57)