Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quarto de fumaça


O cinzeiro veste roupa imprópria
É meu corpo queimado ja fumado
Os restos de luz montam o quarto
Sem cama ou lembrança de cruz quebrada
Presente parecido carregado no peito
Voa agora o lábio seco
Em outros ares, ainda lábio
Cena de novela
Enfivela o ceticismo
Já que amei, armei degregos
Armei adeus
Voa sem vento o pensar
Tive azar e tu ventania
Life is a pigsty
Não amanhece a saudade
Prisioneira bate nas paredes, risca-as
São calendário de tua falta
Armei as grades que me encerram
E cerram meu respirar
Quanto de destino há no veneno do não?
A cicuta aumenta o efeito
Quanto mais o adeus se estrada
Armei como amei
Sofro como choro
Encharco a safra de sofreres












O Mouro
Enviado por O Mouro em 21/09/2007
Código do texto: T662960

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
O Mouro
Camaquã - Rio Grande do Sul - Brasil, 39 anos
27 textos (1619 leituras)
3 áudios (114 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 19:07)
O Mouro