Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto



Alma aflita

Há dias que não me entendo,
há dias que sou silêncio
impenetrável, mudo
buscando respostas
na existência infinita
de uma alma aflita.

Há dias que sou palavras,
despedaçada em mim,
sem encontrar respostas,
na existência infinita
de uma alma aflita.

Há dias que sou ternura,
entretida em sentimentos
achando minhas respostas
no sorriso confiante
de crianças saltitantes.

Há dias que não me entendo
as palavras não me acham,
permanecem em silêncio
refletindo a ternura
de uma pequena alma aflita.
Vava Maia
Enviado por Vava Maia em 23/09/2007
Reeditado em 23/11/2007
Código do texto: T665435

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Vava Maia
Campos dos Goytacazes - Rio de Janeiro - Brasil
158 textos (6566 leituras)
23 e-livros (3584 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 02:44)
Vava Maia