Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NOSSO CERRADO

Autoria de: Regilene Rodrigues Neves

Oh! Minha terra
Não vejo mais em teus cerrados
Os buritis que te enfeitavam
Saciando a paisagem da tua vida selvagem
Tecendo em teus coqueirais
Uma folhagem que embelezara
Nossas cabanas
Cobrindo-as com tuas folhas fartas!

Cerrado de pequis extintos
Que alimentou-nos e deu nome a nossa terra
Terra do arroz com pequi,
Do frango e da gabiroba
Oh! Minha terra
Porque desfaz do teu nome
Nas mãos do homem que a extermina
Fazendo de ti uma chacina?

Já não plantas
O cajuzinho e a mamacadela
Entre outras que cobria nosso cerrado
E alimentavam nossa terra!

Oh! Homem
Sem terra
Sem nome
Seu caminho é devasto
Tuas mãos trazem os calos
Da violência que apaga tua história...

Um dia olharás o campo
Verás que tuas mãos trabalharam
Mas sentirás a dor
Do cerrado que matou
Não verás teus frutos
Nem sentirás orgulho
Pois os teus frutos não replantaram!

Minha terra
Fez-te lavouras e estradas
Por onde passei
Não avistei tua vegetação
Nem vi tuas florestas
Cobertas de farturas
Que encobriam teu cerrado
Mas vi teu progresso
No regresso da minha história!


Ac.29/10/2001


regipoeta
Enviado por regipoeta em 02/11/2005
Código do texto: T66563

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
regipoeta
Goiânia - Goiás - Brasil, 54 anos
1312 textos (134445 leituras)
22 e-livros (7176 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 11:54)
regipoeta