Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amiga



Amiga, doce amiga
amiga amarga
amiga temperada
nas cores e odores
da vida

amiga, que saudade!

despedida sempre dói
mas dói mais a distância
pois a distância é um vazio
que consome o seu entorno
e nos consome transformando
tudo em um pouco de nada

Eh, amiga, querida amiga,
envolta nos laços
com os quais a vida
nos aguarda em cilada
sorrateira, a vida
traiçoeira, amaldiçoada, a vida
vida cheia de falsas promessas
vida cheia de falsos amigos
vida cheia de coisas que se vão
com a primeira lufada de vento
cheia de sonhos que não resistem
ao primeiro raio de sol

vida bandida essa a nossa

Mas, amiga, assim é
a vida dos homens:
uma vida de mentira
uma vida de vazio, de nada
e, no final das contas,
o que resta a nós
senão nós mesmos,
senão o que sobrevive às tempestades
aos amigos que restam
à esperança que resta
ao sorriso que, afinal, sobrevive

É aí, então, amiga
que notamos aquilo
que realmente existe
aquilo que não é ilusão
aquilo que a tudo sobrevive
que sobrevive ao tempo
que sobrevive ao choro
que sobrevive quando
cicatrizam as feridas

O que existe e resiste a tudo
é a nossa paixão
é o nosso amor
é a nossa bondade ou ódio
é nossa própria luz
com a qual vislumbramos
todas as coisas do mundo
as quais, queiramos ou não,
nos são dadas como são

É assim, amiga, que
o que para uns é amor
para outros é aventura
e o que para uns é alegria,
para guardar por toda a vida,
para outros é a mais
profunda decepção

Essa é a luz que resiste a tudo
com a qual tudo enxergamos
e pela qual somos notados
pelos outros e deixamos
então, nossa própria marca

Essa é a luz que dá forma
à beleza dos pássaros a voar
é ela que nos tira o fôlego
ao admirarmos um luar
é ela que refresca a brisa
de uma determinada manhã
é ela que torna imortal
um carinho, uma vez, um instante

Essa luz, minha amiga,
é nossa única e fiel companheira
que nos acompanha a vida inteira
e nos anos que brotam
no estalar de um instante,
de nostalgia ou de contentamento

E sua luz é tão brilhante, amiga
que ofusca toda visão
É tão viva e única e dotada
de um singular colorido
onde enxerga o universo
contido na mínima criatura
e a eternidade naquilo que,
de tão fugaz, já passou

E sua luz é abundante!

Tanto que impregna tudo
aquilo em que reflete
e é assim que,
mesmo que você
não se lembre mais,
nada jamais se esquece -
não porque não quer,
mas porque não pode -
de você.


D.S.


Djalma Silveira
Enviado por Djalma Silveira em 26/09/2007
Código do texto: T669372

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Silveira
São Paulo - São Paulo - Brasil, 49 anos
267 textos (10546 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 07:43)