Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

JARDIM DE DELÍCIAS

Vem,
toma o fruto que quiser deste pomar,
beba o mar, beba o ar, menos veneno,
menos cicuta, já há quem te escuta
além da terra redonda, da redoma,
do paraíso perdido entre gigantes de pedra
e girassóis em que luzes pousam anzóis
a pescarem duendes e faunos e fedras...

Vem,
toma sua arma, seu tanque, seus obus,
esqueça essa cruz pregada no porão do céu,
arranque esse escuro e pegajoso véu,
não alimente os cães atrás da sinagoga,
não se ajuste com aqueles que usam toga,
apaciente suas tempestades, escreva à mão,
não morra pendurado numa cortina de banheiro,
saiba que o amor, além de dor, tem cheiro,
se aposse do que sempre foi teu, teu coração,
também feito à mão por anjos celestes,
não se atrele àqueles que trazem a peste,
não olhar não significa não ver,
não possuir não significa não ter...
Vem,
o jardim de delícias é sua mais alta vista,
água, fogo, vento, ar,
é sua mais forte e poderosa conquista,
tomar de si e criar.
Preto Moreno
Enviado por Preto Moreno em 27/09/2007
Código do texto: T670572

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Orivaldo Grandizoli). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Preto Moreno
São José do Rio Preto - São Paulo - Brasil
7448 textos (107650 leituras)
8 áudios (72 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 17:40)