Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POETA MORADOR DE RUA DE SÃO PAULO

Queridos amigos, meu marido, em um trabalho que faz de distribuição de café da manhã no centro velho de São Paulo, recebeu alguns poemas de um morador de rua. Uma delas repasso abaixo e anexo, as demais irei enviando oportunamente. Como também tenho alma de poeta, resolvi escrever  poemas em resposta a este grande e especial poeta de rua, aguardem...
Bjs e fiquem com Deus.Diana Lima

A CONSCIÊNCIA  QUE CAMINHA PARA O MUNDO CONTINUAR RACIONAL
 

Inverno, muito frio, muito frio
É noite, há algumas estrelas no céu

Há claridade na praça iluminada
Tem carência de proteção

 

Estende o papelão no chão e deita

Teve frio nas noites anteriores

-Irmão, amigo quer um cobertor?

-Está frio esta noite

 

Esta pessoa se vai deixando o cobertor

Para o morador de rua, fica o cobertor

E a expressão daquela pessoa que ao mesmo

Tempo séria, expressa contentamento

 

Abre o cobertor, cobrindo-se, o frio passa

Cobrindo a cabeça diminui a carência

De proteção e sente-se protegido para dormir

Sente a sensação que um passado não é o presente

 

Adormecendo, antes sente raiva, controla-se

O subconsciente não está tranquilo, sabe que

Está em local não digno, é um disparate,

Pessoas estranhas a ele dormem ali também

 

Barulho de veículo e de andar

-Amigos, estão acordados? Querem:

-Sopa ou café com leite quente e lanche

-A noite está fria, fiquem com Deus

 

Olhos nos olhos, sorriso na face

Expressão de quem cumpriu uma missão

Como obrigação e consciência que realmente

Está diminuindo a fome e o abandono.

 

AUTOR: SILVIO LUIZ MONTEIRO DE OLIVEIRA

MORADOR DE RUA, SÃO PAULO/SP 23/09/2007

Diana Lima
Enviado por Diana Lima em 28/09/2007
Código do texto: T672112
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Diana Lima
Santo André - São Paulo - Brasil
152 textos (54082 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 10:34)
Diana Lima