Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Aviso II

Rosa Pena


Dispensei a mordaça
e declarei.
Foi mal eu sei.
Vacilei.
Tinha esvaziado a taça.

Sabes era madrugada,
a lua estava triste,
 despedaçada.
Eu?
Estava desesperada.

Dai meu coração indiscreto,
declarou meu sentimento secreto.
Mas, é amor... Só amor .
Parece novo, mais é antigo,
pois esteve sempre comigo.
Daqueles que entram
pelas frinchas do postigo,
misto de presente e castigo.

Mas te aviso:
-Não corres perigo.
Só falei contigo.
Dono absoluto deste sentimento.
Confessei a ti o meu tormento,
de pensar em nós a cada momento.

Sei que é amor do talvez
que não se fez,
daqueles que não tiveram vez.
Afinal, nada me prometeu!

Eu, apenas eu,
te imaginei meu.

2003
Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 16/03/2005
Reeditado em 22/10/2008
Código do texto: T6728
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Rosa Pena
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
954 textos (1389852 leituras)
48 áudios (24755 audições)
33 e-livros (28798 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/09/16 16:05)
Rosa Pena

Site do Escritor