Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
NÃO TIVE TEMPO PARA CHORAR MEU RISO E SORRIR MEU PRANTO! 


Não tive tempo para chorar meu riso,


nem para sorrir meu pranto!


A hora não despertou!


Os pêndulos não marcaram os momentos!


Estáticos ficaram os olhos,


a boca,


o coração,


mas ele dilacerou-se com a imprecisão


da saudade que latejava


com gotas orvalhadas de choro!


Prontos gritavam os sonhos acordando


 de um profundo sono de amor!


O relógio não vivia embora o mundo


prosseguia na quase mesmice de sempre!


As mãos resolveram iniciar uma nova


alternativa clamando por você!


Acenamos infinitas vezes!


Não adiantou!


O silêncio constrangia-se com a mudez


do seus movimentos!


Por isso não arrumei tempo


para chorar, sorrir e gritar!...


tantos sentimentos que pela repetição


dos clamores foram batizados com o seu nome!


©Balsa Melo


10.01.06


Cabedelo-PB

BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Enviado por BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO) em 30/09/2007
Código do texto: T674468
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Uberaba - Minas Gerais - Brasil
3010 textos (87166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 22:51)
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)