Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NÃO TENHO ALGEMAS

Fui menina,
rebelde, traquina, barulhenta...
Mulher hoje sou.
Laboriosa, complicada,
parideira,
dona de casa.
Ardo em orgasmos,
arquejo em lágrimas.

Apolo me fascina,
me faz musa de seus versos,
deusa do seu leito.
Sou refém das fantasias,
atriz de todos os papéis.
Mostro-me catita,
jogo a sedução
e acho-me bonita.

Os sonhos
habitam meus cantos,
ouriçam as entranhas.
Rendo-me aos desejos.
Aos detalhes
entrego-me inteira,
na busca de mim mesma,
pois não tenho algemas
nem porteiras.


Genaura Tormin
Enviado por Genaura Tormin em 05/11/2005
Código do texto: T67756
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Genaura Tormin
Goiânia - Goiás - Brasil, 71 anos
311 textos (395648 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 22:18)
Genaura Tormin