Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

No minuto que se chega só



No passo morto do compasso fúnebre,
um longo suspiro cansado, se esticou da boca seca e foi até os olhos roxos.
As mãos pálidas,faziam carícias no corpo frio.
Dia cinza comum,sem pássaros no céu,silêncio pleno sobre a caminhada dos mortais agonizantes.
No ar nenhum balão,nenhum grito de esperança.
A glória em branco, achada livre ao redor do mundo,em outro loteamento.
Graça de tudo.
Vai mudar a estória!
Na hora,no minuto que se chega só,
o vento chega,traz a chuva e a prosperidade!
Um gosto doce de pressa levando longe...
De lentidão atrasando perto
Ludmilla Castro
Enviado por Ludmilla Castro em 03/10/2007
Código do texto: T678701
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ludmilla Castro
São Sebastião do Paraíso - Minas Gerais - Brasil, 28 anos
69 textos (1655 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/17 23:36)
Ludmilla Castro