Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A VIDA NÃO QUIS QUE EU PERMANECESSE ENGANADO POR VOCÊ!


Cri em você e a dor foi a crescença do meu choro!

Esperei enfim!

Corei-me estendido ao chão com a esperança
de me assustar com a sua volta!

Esfolei as mãos quando tentei colorir os ares
com tantos acenos em vão!

Senti-me obrigado a sair e
declarei-me saindo...

fi-lo com os olhos goteando!

Robusteci meu corpo por saber que a caminhada exigiria
em demasia dos pés, dos olhos e do coração!

Inverossímil é esta fala que ouço da suas entranhas
oferecendo-me o mundo quando nem a minúscula fragrância do meu
choro soubesse aspirar e confortar!

Creria em você a vida toda,
mas Ela não quis que eu vivesse
empandeirado com o seu constante desdizer!

©Balsa Melo
05.02.06
Cabedelo - PB

 
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Enviado por BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO) em 04/10/2007
Código do texto: T680647
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)
Uberaba - Minas Gerais - Brasil
3010 textos (87155 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 11:23)
BALSA MELO (POETA DA SOLIDÃO)