Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CALOR INFERNAL - soneto



Não me ventou nem a brisa noturna,
Nada de sopros ou livres folias.
Baforejando da boca soturna,
Somente o breu dessa triste heresia.

Em pesadelos de versos confusos,
Recita a dor em sonetos doentes,
Tua figura em contornos intrusos,
Deitada à sombra de rima indolente.

Arcanjo negro, das trevas vigia,
Macabro amor, satânica elegia,
Dominação do meu corpo pagão.

Entrego a ti, sem escolha ou vontade,
Correndo o risco de arder de verdade,
Minh'alma branca em teu leito - paixão!

***************
Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 07/11/2005
Código do texto: T68273

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Lílian Maial
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1158 textos (248724 leituras)
21 áudios (13707 audições)
3 e-livros (1280 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 16:32)
Lílian Maial

Site do Escritor