Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FEROCIDADE

O retrato que eu te dei
era da minha alma de viajante,
porque já não sou!
e me bate no peito
a dúvida de uma saudade
que permanece além do homem

Vejo na praça apenas a espera
sedenta do injustiçado,
a manhã não traz mudanças
a ordem porém não resiste
aos passos da ousadia,
é preciso saltar muros
com avidez,
espiões ocultos no olho fixo
do pássaro sabem, só
a primavera é solitária
só o desejo incendeia a sombra,
a rua responde ao grito
com esquecimento

Esqueça regras e discursos,
a hora exige ironia e blasfêmia
reconheça na estrada
a profundidade da alma,
na ruína além da dor
permanece a lenda
pois a ferocidade do caos
mantém na ativa
o porteiro do inferno
Eriko y Alvym
Enviado por Eriko y Alvym em 09/10/2007
Reeditado em 20/02/2008
Código do texto: T687108

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (ERIKO ALVYM e www.erikoalvym.zip.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Eriko y Alvym
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1307 textos (32698 leituras)
8 áudios (1072 audições)
2 e-livros (177 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 01:54)
Eriko y Alvym