Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A FALA DO SILÊNCIO

Silêncio! A expressividade
de cílios num tremor de pálpebra,
nascentes d' água  da lágrimas
são fogos  queimando lábios,
lacre selando esta página
que em sal  de silêncio  verdevejo.
Parece lógico como a álgebra:
quando a dor vai em despejo.
Melhor  se  aqui cantassem
os batimentos acelerados
do coração. Decerto fosse
fio de foice que ceifaria
o suspense da  desarmonia.
Do cochilo bastou um átimo
da displicência de um suspiro,
para se chorar  sem lástima.
Por traz de uma nuvem calada
de chuva, um pássaro canta
magia em  estranha sentença
do tempo,  em sua andança e giro,
de não ser preciso dizer.
Sílabas, valsando  mímicas
e o gesto que  pensando que pensa
de como  fazer da mão, prensa
do amor maior, paixão menor.

Um  leve sussurro de tempo
faz rimas com a mensagem cúmplice
das festividades do acaso,
do ocaso, mormaço, abandono.
As sombras de um medo súplice
das mil traições do acaso,
preguiçosa coreografia
desmaia e entardece de sono.
A chuva bate no telhado
e você palpita ao meu lado

Cama de lençóis de sândalos
vontade de ser só preguiça
a grama  brilhando em triângulos
riscando a  alegria que atiça
o risco  de uma só carícia.
 
O cheiro do café convida
à  comunicação curiosa
das palavras silenciosas
que trazem o som da vida.

Elane Tomich
Enviado por Elane Tomich em 08/11/2005
Código do texto: T68715
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Elane Tomich
Teófilo Otoni - Minas Gerais - Brasil
319 textos (11466 leituras)
1 e-livros (126 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 07:54)
Elane Tomich

Site do Escritor