Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Isaura



Em meio ao rio
Se banhado do cio
Aquela nudez incomum entre as palmeiras...
Não era de existir,
Tão pouco de permitir quaisquer olhar mais urbano,
Mas estava ali, sem qualquer problema humano.
Uma candura doce e inocente,
Um olhar simples e envolvente
Que se fazia em pura luz de um fim do dia.
Os seios médios, agudos, mosqueados pendiam afogados na onda,
Que apagava da areia as feridas feitas pelos pés...
Os cabelos negros como açoites valsavam ao vento
Como o acorde do corpo no relento...
Em verbo a boca admirada dizia compasada...
Que obra!...
Que formosura!...
Verso avesso de mulher...
Índia toda nua...
Uma maldade da hora,
Uma cobiça dos deuses,
Uma loucura!...
Ah! se fosse minha senhora?!


Alberto Amoêdo
Enviado por Alberto Amoêdo em 09/10/2007
Código do texto: T687550
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alberto Amoêdo
Macapá - Amapá - Brasil, 51 anos
1344 textos (19090 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 05:00)
Alberto Amoêdo