Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Se eu morrer amanhã.

Se eu morrer amanhã levarei comigo a certeza de que das coisas que vivi, sentirei saudade
Das coisas que não vivi, não levarei arrependimentos
Das coisas que possui, nada levarei!
E das coisas que não pude ter não sentirei falta!
Saberei que o que  eu deixo jamais me pertenceu, apenas me foram emprestados, foram emprestados a mim o sorriso de crianças meigas que bagunçavam a minha sala. De adolescentes que me procuravam pra fazer perguntas que as vezes me encabulavam!
Me foi emprestado os cabelos macios de minha mãe e os calos de meu pai no meu  rosto também me foi emprestado.
Me foi emprestado o peito do meu amor e choro nele derramado!
Das coisas que deixo certamente deixarei uma lembrança na mente da minha menina de uma correria no shopping, do parque diversões onde fomos só nós duas, alguns trejeitos e meu jeito.
No meu grandão sei que deixarei a certeza que minha herança pra ele era a fé, pois foi o que não me foi tomado.E também as músicas que nós dois gostavamos.
No outro deixarei meus traços moreno rosado, cabelos pretos e dentes bem cuidados... e nossa transmissão de pensamentos, e no meu pequeno deixarei fotografias, e muitas recordações de brincadeiras na praça ele tem sido um anjo pra aquietar meu coração jovem mais tão cansado.
Aos meus pais, penso que fui uma filha legal e que jamais os tenha envergonhado então deixarei pra eles um vazio que meus irmãos não irão preencher. Esses meus amigos foram amigos pra valer!
E pro meu amor não sei o que deixar pois entreguei tudo o que tinha à ele enquanto pude demostrar cada carinho e cada beijo meu!
aos meus amigos eu deixo a certeza de que  fui leal e sincera e que faria tudo outro vez. Mesmo já tendo os meus ombros de lágrimas molhados.
Aos meus inimigos deixo o perdão, deixo o meu esquecimento!
E se eu morrer amanhã não deixarei meu corpo abaixo da terra pois quero ser cremada..virar pó e cinza e jamais ser um lugar pra os que me amam ficarem chorando ajoelhados. Mas a lembrança de alguém que amou e foi amado!
Se eu morrer amanhã eu sei que é o tempo chegado, não temo, nem choro, nem lamento porque foi bom o tempo aqui emprestado.
Cristhina Rangel
Enviado por Cristhina Rangel em 14/10/2007
Código do texto: T693339
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cristhina Rangel
São Paulo - São Paulo - Brasil, 47 anos
1085 textos (27837 leituras)
19 áudios (660 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 09:14)
Cristhina Rangel