Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O OUTRO RIO

atravesse a mim que sou mais triste que um rio
e não tenho leito onde nascer mil vezes depois
parecemo-nos? Não conheces minha tristeza...
você é réstia de um dia que foi tudo e não veio
enquanto eu escondia o corpo nos olhos da lagarta.
estou sem coragem marinheiro! Virei de medo!
folhas de prata na noite são fantasmas a sorrir garras...
já estive onde me moldavam o barro e me adulavam
hoje habito a mortalha na natureza e engasgo no pó!
ao mínimo graveto jogo as esperanças navegáveis,
espero flutuar alguém atrás do meu último resgate
pedras de sensualidade nas curvas sinuosas da água
vão me vencendo na correnteza de onde não moro,
já não há beleza no vale e a vida depende de você.

betina moraes
Enviado por betina moraes em 14/10/2007
Código do texto: T693735

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
betina moraes
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 48 anos
391 textos (3640 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 09:35)
betina moraes