Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Lupino

Vejo a sombra do velho lupino
Tão belo, tão velho, mas vivo
A lua cheia o torna mais nocivo
Como a morte ao assassino.

O uivo, semitonado e cabuloso
Avisando aos mortais pecadores
Que das mais mórbidas cores
Vem ele na noite, faminto, guloso.

Caça o sangue como lagarto ao inseto
Não teme, não morre e não perdoa
Se lhe chega o odor de qualquer pessoa
É como o cheiro da água no deserto.

Eis o lupino tão belo a correr
Em direção à vítima, pobre mortal, e se
Pra ti a morte de um homem é coisa anormal
Pra ele, maldito, não há maior prazer.
Júnior Leal
Enviado por Júnior Leal em 18/03/2005
Código do texto: T6985

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Júnior Leal
Lagoa Santa - Minas Gerais - Brasil, 31 anos
958 textos (30824 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 23:20)
Júnior Leal