Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AS NOITES DO GUASSUPI




Com seu cortejo de sombras
a noite surpreende a tarde,
o aroma das primaveras
maçanilhas e alfazemas
preenche espaços vazios
entre o olhar e o sentir.
Linha fixa o horizonte
as vezes se achega mais
por outras dispara e para.
Se esgueirando vagarosa
a estrada parece estranha
entre o demais da paisagem.



Sonhos de muitos andores
no batente das porteiras,
moradas, naves solitas
na maré mansa dos campos.
Taperas em alvoroço
no imaginário da gente.
Não dorme nunca, não dorme,
vela o sono ao derredor,
aponta sempre o horizonte
de qualquer ponto de si,
a estrada é mundo de todos
ligando mundos dispersos.




O rio estende a preguiça
desenhando no varzedo,
cinzelando com paciência
a  face nua das rochas.
Se acalma na noite mansa
prá o passeio das estrelas
e para o banho da lua
que vai de um quarto prá outro
trocando sempre a roupagem
no afã de encantar o rio
onde se mira vaidosa
com seus fulgores de prata.





Aqui a noite se esgueira
não cai, apenas se chega
o dia também, não se vai
faz uma pausa em retiro
por detrás da serrania
e as vezes quando desperta
por sobre a crista dos cerros
há respingos de sereno
na face rubra da aurora
alguma nesga de negro
sobre o claro da alvorada
a noite parte “ al despacio”
no vale do Guassupi.







As silhuetas dos cerros
recortadas contra o céu
parecem grandes fantasmas
sob o clarão da boieira.
Corujeiros, dois faróis
prescutam dentro da noite
varredura de rotina
vigilando a mataria.
Um sapo regente mor
rege uma orquestra maviosa
entoando canções antigas
em contra canto a dos grilos.





Quando as estrelas se ausentam
e  a  lua dorme mais cedo,
cá embaixo no grande vale
um lento acender e apagar,
procissão de vaga-lumes
com  seu luzir andarilho.
Creio que andam na busca
de algo  um tanto encantado,
talvez os baios- ruano
do negro do pastoreio
quem sabe, o rastro da moura
que se  sumiu no Jarau.


moises silveira de menezes
Enviado por moises silveira de menezes em 11/11/2005
Código do texto: T70073
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
moises silveira de menezes
São Pedro do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil, 62 anos
37 textos (10056 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:29)
moises silveira de menezes