Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FAÇO VERSOS

Faço versos
tal qual quem se desnuda
em público

Livre das minhas
rotas vergonhas,
busco o infinito

Como quem olha do poço,
fitando o céu,
procuro tecer
no papel da alma
meadas de desencontrados sonhos

Sonhos quiçá dilatados,
cinéreos,
aéreos,
de cálculos em oráculos

Firo o papel
com madonas,
gatos selvagens - azuis
- ou mosca tonta,
acabrunhada perante o candeeiro

Tateio o pão
de amianto e
encontro o vento

Longe do vozerio,
coloco na minha canastra
mais um verso

Fernando Tanajura
Enviado por Fernando Tanajura em 11/11/2005
Reeditado em 10/11/2013
Código do texto: T70085
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Fernando Tanajura). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fernando Tanajura
Estados Unidos
1466 textos (154752 leituras)
1 e-livros (154 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 02:42)
Fernando Tanajura